16 outubro 2011


Andei pensando muito no que fizemos e no que deixamos de fazer. No que falamos, no que engolimos à seco para ficar trancafiado no mais profundo de nós. Pensei em você. Pensei em mim. Pensei nas datas importantes que compartilhamos. E pensei também naquelas datas super importantes que se foram e que nós não tivemos a cara de pau de trocar uma mísera palavra. Pensei em tanta coisa que se eu te falasse, tu não acreditaria. Do que adianta, o passado é a única coisa que não podemos ter de volta. Tá, não é a única coisa que não podemos ter de volta, mas é a que mais queremos. Eu queria por ter lhe dito tudo o que pensei, talvez fizesse alguma diferença. O fato é que o passado fica agarrado à nossa memória. As vezes dá vontade de apagar. As vezes dá vontade de reviver. As vezes a gente sente aquele gosto de nostalgia e aí o ciclo começa outra vez. Querer e não poder, ter e não querer, não ter e querer. Ah, o passado…